Review | Le Chevalier nas Montanhas da Loucura

Autor

Categoria

Compartilhe

Escrita por A. Z. Cordenonsi e desenhada por Fred Rubim, a HQ Le Chevalier nas Montanhas da Loucura, publicada pela AVEC Editora, é uma história steampunk vitoriana inspirada em H.P. Lovecraft (Nas Montanhas da Loucura), Edgar Alan Poe (A Narrativa de Arthur Gordon Pym) e Júlio Verne (A Esfinge dos Gelos).

Elementos dessas três obras são muito marcantes na narrativa, seja no cenário, seja na história. De Lovecraft vem o mistério sobre a expedição da Universidade Miskatônica na Antártida, além do nome da HQ. De Poe vem a inspiração ao personagem sobrevivente. De Verne, a jornada e a aventura vivida pelos personagens.

Este é o segundo livro do autor. Na história, Le Chevalier e seu escudeiro Persa precisam salvar o mundo do chamado Justiceiro da Paz, responsável pelas chantagens enviadas a vários líderes no mundo. Para isso, eles se unem a ninguém mais, ninguém menos do que Irene Adler, membro de uma organização criminosa conhecida como “O Comitê”.

Irene Adler, a mais famosa ladra do Comitê, recruta os agentes franceses para uma última e derradeira tentativa de capturar o verdadeiro inimigo e evitar a guerra. Mas nem tudo é o que parece. A investigação prossegue para um cenário aterrador e, nos confins da Antártida, os aventureiros são obrigados a seguir os passos de uma antiga expedição da Universidade Miskatônica.

A trama é um misto de história, fantasia, mistério, ação e investigação. A verdade é que a HQ deixa um gostinho de quero mais, especialmente porque o autor joga alguns fatos no meio da história sem explicar ou dar continuidade. Outros fatos, ainda, ficam sem solução no final, o que faz parte do mistério.

A mistura entre elementos reais da história mundial, em uma época na qual a França comanda a Revolução Industrial, e a fantasia, que fica por conta dos monstros e seres meio robóticos e meio animais, é o que enriquece a narrativa.

Os personagens também são muito bem construídos, com características bem marcadas e que seguem presentes ao longo da trama. Cada personagem é colocado na narrativa de forma bem estratégica para a construção do enredo.

Outra possível inspiração de Poe é o tom mais “dark” das ilustrações, que ora apresenta traços mais simples, ora destaca pontos da história om traços ricos e bem elaborados.

Confira as imagens de divulgação da HQ:

Autor

Compartilhe