MENU
Homenagem aos 27 anos do Super Mario Bros

Homenagem aos 27 anos do Super Mario Bros

Lançamento de Disney Infinity e as possibilidades de jogo

Lançamento de Disney Infinity e as possibilidades de jogo

Da telinha pra telona | Games adaptados para o cinema

Detona Ralph estreou nesta sexta-feira (4) nos cinemas reunindo personagens clássicos do mundo dos jogos. Apesar de o filme não ser inspirado em um jogo, aproveitamos o embalo do longa para relembrar alguns games que foram parar na telona. Uns fizeram sucesso, outros nem tanto, mas como cada pessoa tem seus gostos e preferências, quem somos nós para julgá-los.

Fizemos uma lista de 10 adaptações, lembrando que não estão em ordem de pior ou melhor. E para iniciar a lista, porque não colocar o mais famoso game do mundo. Super Mário Bros. Além disso, o Mário é considerado como personagem mais conhecido mundialmente. Até mais do que Mickey Mouse.
“Here we go!”
SUPER MÁRIO BROS.
Estrelado por Bob Hoskins e John Leguizamo, Super Mário Bros trazia a trama dos irmãos encanadores  que tentam salvar a princesa Daisy das mãos do terrível rei Koopa. Em um primeiro momento, a ideia era produzir toda uma franquia de filmes sobre o gordinho mais famoso dos games, Mario, mas o fracasso do primeiro filme acabou virando uma utopia. O filme custou cerca de US$ 40 milhões e faturou apenas US$ 20,9 milhões.

DOUBLE DRAGON


Jogo de sucesso no inicio da década de 1990, na plataforma arcade, mas que também ganhou versões para Atari, Game Boy e Mega Drive. Em 1994, foi lançado o filme Double Dragon, com Robert Patrick, Mark Dacascos, mas que teve pouco ou nenhum sucesso. O longa faturou apenas US$ 2,3 milhões nos cinemas americanos.

PRÍNCIPE DA PÉRSIA

Príncipe da Pérsia foi outro game clássico dos anos 90 que ganhou vida na telona. Trazendo Jake Gyllenhaal na pele do príncipe Dastan, o filme arrecadou US$ 335 milhões e teria tudo para se transformar em uma franquia cinematográfica, mas isso não aconteceu. Uma das rasões seria o fato do alto custo de produção, mais de US$ 200 milhões. 


LARA CROFT: TOMB RAIDER

A mais famosa heroína do mundo dos games, também teve um pouco de fama nos cinemas. Lara Croft: Tomb Raider (2001) e Lara Croft: Tomb Raider – a origem da vida (2004), juntos, faturaram mais de US$ 400 milhões em todo mundo e ajudaram a fazer de Angelina Jolie uma das mais famosas e bem pagas estrelas de Hollywood. Boatos de que um terceiro longa estaria nos planos dos produtores, mas parece pouco provável.

STREET FIGHTER

Um dos mais famosos games de luta já vistos chegou ao cinema em 1994. Com destaque nas atuações de Jean-Claude Van Dame (Coronel Guile) e Raul Julia (Gerenal Bison) o filme faturou cerca de US$ 105 milhões em todo mundo, mas não teve a continuação imediata que se imaginava. Apenas em 2009, com Street Fighter – A Lenda de Chun-Li, que o game voltaria a ocupar as salas. No entanto foi uma decepção. Arrecadou apenas US$ 8 milhões, diante de um orçamento de US$ 50 milhões.

MORTAL KOMBAT

Rival de Street Fighter nos games, Mortal Kombat também foi tentar a sorte no mundo cinematográfico, um ano depois de seu rival, em 1995. O longa contou com a boa atuação de Christopher Lambert, o eterno Highlander, no papel de Raiden.

Dirigido por Paul W.S. Anderson, responsável também pela série Resident Evil, o filme rendou mais de US$ 122 milhões e dois anos depois teve sua continuação,  Mortal Kombat – A Aniquilação, dirigida por John R. Leonetti. Porém não foi tão bem nas bilheterias quanto seu antecessor. Ficou em pouco mais de US$ 50 milhões, além de ter trocado todo o elenco, exceto Robin Shou (Liu Kang).
DOOM

Quem curte jogos de tiro em primeira pessoa sempre aparece com a frase: “ se você nunca jogou Doom não sabe o que é o perigo”. Um dos jogos mais famosos de todos os tempos, Doom demorou ter seu filme. Foram 22 anos até que um produtor ter a coragem de leva-lo para o cinema. Em 2005, Doom – A Porta do Inferno foi lançado e trazia no elenco principal o grandalhão Dwayne “The Rock” Johnson. Porém, o The Rock ainda não chamava tanto público e o longo acabou decepcionando, ainda que alguns tenham ficado felizes no momento em que o filme adota a perspectiva da primeira pessoa, como é no game.

TERROR EM SILENT HILL

Muitos dizem que não existem boas adaptações de um game para o cinema. Quem concorda com isso, provavelmente é porque ainda não assistiu Terror em Silent Hill. O filme conseguiu manter o clima de terror e suspense do jogo, criando bons sustos no espectador.

E agora em 2013, como o mundo do cinema promete trazer bons enredos, Silent Hill não poderia ficar de fora. A história continuará em Terror em Silent Hill: Revelação. Resta saber se também será de qualidade. Esperamos que sim.
ALONE IN THE DARK

Se Silent Hill é um bom exemplo de jogo de suspense que se deu bem nas telonas,  para Alone in the Dark já não se poder ser dito o mesmo. Estrelado por Christian Slater, Tara Reid e Stephen Dorff, o longa faturou pouco mais de US$ 5 milhões e recebeu duas indicações ao Framboesa de Ouro (paródia do Óscar que premia só os piores filmes produzidos). Contudo, em 2008, foi lançada uma continuação: Alone in the Dark 2 – O Retorno do Mal.


RESIDENT EVIL

Resident Evil é um caso raro de franquia que faz sucesso no mundo dos games e também nas telonas. Porém, quem é realmente fã do jogo, pouco gosta do filme. Enquanto que Chris Redfield e Jill Valentine assumiam o papel de protagonistas dos jogos, Alice se tornou a personagem mais importante nos filmes.

Desde que chegou aos cinemas em 2002, com Resident Evil – O Hóspede Maldito, de lá pra cá a franquia faturou quase US$ 900 milhões em todo mundo juntando os outros quatro longas: Resident Evil 2: Apocalipse, Resident Evil 3: Extinção, Resident Evil 4: Recomeço e Resident Evil 5: Retribuição.


Comentários
Pin on PinterestTweet about this on TwitterShare on Google+Share on FacebookEmail this to someone

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>